2012 – Papiro pesquisado na Universidade de Harvard corrobora teoria do casamento de Cristo


Um fragmento de um papiro egipcio do século IV recentemente descoberto reacende novamente a idéia que Jesus era casado com Maria Madalena. O pergaminho em copta, principal forma de escrita usada pelos cristãos no Egito, que mede 8×4 cm foi tema apresentado por Karen King, professor de Teologia da escola de Teologia de Harvard em Cambridge, Massachusets  durante o 10º Congresso Internacional de estudos Coptas, em uma conferência no dia 18/09/2012 realizada em Roma.

Reacendem assim os debates sobre a verdadeira história de Jesus Cristo trazendo de volta uma antiga polêmica que balança os alicerces  católicos, já que a igreja insiste em negar qualquer evidência que venha a modificar a história atual de Jesus.

O diretor do Instituto para estudos do Mundo Antigo em Nova York, Roger Bagnall, afirma que o pedaço de pergaminho de propriedade privada, é autêntico e no meio dele se encontra uma frase onde Jesus fala a seus discípulos “minha esposa”, a qual os pesquisadores atribuem ser Maria Madalena. Isso levou Karen King a apelidar o papiro de “O Evangelho da esposa de Jesus”.

Está previsto para janeiro de 2013 a públicação do Relatório conclusivo da análise do papiro que será publicado na Revista Teológica de Harvard. Acompanharemos o andamento das pesquisas e divulgaremos. http://www.hds.harvard.edu/faculty-research/research-projects/the-gospel-of-jesuss-wife

Mesmo sugerindo que Jesus era casado, o fragmento de papiro não contém reais provas desse fato, porém corrobora com todas as  pesquisas e as teorias que vem sendo realizadas por alguns grupos em todo o planeta, dentre eles destaca o  Projeto Portal e suas  recentes pesquisas que foram feitas ao sul da França, nos lugares que Maria Madalena passou seus últimos dias. Nas pesquisas levadas a cabo na França, foram encontrados muitos indícios, inclusive pinturas na Igreja em Rennes Le Chateau que levam a crer que Jesus e Maria Madalena foram realmente casados e ainda deixaram descendentes.